CORRA PRA LER #04: Old Boy

Título: Old Boy
Autor:
 Garon Tsuchiya (Roteirista) e Nobuaki Minegishi (Ilustrador)
Categoria: Drama, Mistério, Psicológico, Seinen
Publicação: 1996 – 1998
Serialização: Weekly Manga Action

O que você faria se, do nada, alguém mandasse te prender num andar secreto de um prédio? O que você sentiria? Digamos, ainda, o seguinte: e se esse aprisionamento durasse por longos e intermináveis 10 anos…? E aí, sem mais nem menos, fosse liberto… Qual atitude você tomar, agora em liberdade? Vingança?

Tendo o roteiro como o ponto forte, Old Boy é mais uma série roteirizada pelo Garon Tsuchiya, autor que normalmente trabalha com séries focadas em dramas psicológicos, mesclado com uma carga de mistério fortíssima.

Agora contando com a arte de Nobuaki Minegishi, Garon Tsuchiya introduz o leitor  numa história com uma trama sobre um simples cidadão japonês que foi preso por longos dez anos por alguém que ele não conhece.

Depois de tanto tempo confinado, em uma prisão privada, com uma televisão como único canal de informação para o mundo lá fora, ele quase enlouqueceu, mudou…. transformou-se em outra coisa… algo rígido… algo letal. Agora em liberdade, ele quer descobrir o motivo de tudo aquilo, saber quem o queria preso por tanto tempo. Quer vingança.

Vamos ao que interessa!

Bem, não tem como falar desse tipo de série sem dar nenhum spoiler, portanto, vou fazer o possível para não estragar a experiência do mistério que é tão forte na trama.

Realmente, esse mangá tem algo de diferente do restante. Começando pelo protagonista que você não sabe o nome dele nem como ele era antes de ser aprisionado. Só depois de alguns capítulos é que seu nome é revelado. Seu nome é Shinichi Goto, um cara normal, mas que não ligava muito pra vida e vivia num estado decadente.

Porém, depois de passar por tanto sofrimento e humilhação por ter sido preso sem motivo aparente, ele é uma pessoa com novas atitudes. Decidido e confiante em achar quem fez aquilo com ele e por qual motivo, ele inicia uma busca incessante pela verdade.

Nessa busca é que percebe-se a mudança de atitude no personagem. Com jogadas inteligentes (que não vou detalhar para não estragar sua leitura), Goto descobre rapidamente que quem o havia trancado foi uma empresa especializada em prender pessoas que pagavam para sumir do mapa, gente que precisava desaparecer por um tempo até que a poeira baixasse.

Só que…

Esse tal serviço é caro e normalmente as pessoas ficavam apenas uns poucos dia, nunca anos, como foi o seu caso. Só uma pessoa podre de rica para conseguir bancar um serviço tão caro.

Bom, partindo disso, Goto se foca em encontrar essa pessoa que pagou pelo serviço. De acordo com seu novo objetivo, a história toma um rumo mais concreto e simples.

Vale a pena citar que, nesse ponto da história, o leitor já conhece o rosto de quem foi o mandante de tudo e que ele continua acompanhando os passos de Goto e perece não gosta da ideia dele continuar com um olhar obstinado de conseguir o que quer.

A partir desse ponto da história, presenciamos uma espécie de briga de cão e gato. Goto procurando de todas as formas saber quem o odeia tanto, enquanto, por outro ponto de vista, o leitor vai descobrindo algumas informações do mandante misterioso, algo que continua ao longo de toda série.

Considerações técnicas

Tecnicamente falando, a série é ótima na sua proposta dramática que, no decorrer da leitura, faz com que o leitor se interesse rapidamente pelo desenrolar do mistério que circula os personagens (algo que lembra bastante a briga psicológica entre Light Yagami e L, em Death Note).

A arte também é um ponto forte do mangá. Com expressões bem características, as ótimas ilustrações de Nobuaki Minegishi passam, com clareza, os sentimentos dos personagens de forma sensacional.

Todas as capas dos volumes encadernados contam com o rosto do Goto em expressões de tristeza misturado e frustração, mas também um sentimento de cara decidido e desafiador. É muito bacana!

Com 8 volumes encadernados, a série consegue se manter muito bem ao longo de todos o capítulos, mérito do roteirista que mantém um ritmo constante de mistério. Algo que me fez grudar e não parar de ler até o fim.

Curiosidade

A obra também ganhou sua versão coreana pros cinemas em 2003, sofrendo algumas alterações, trazendo um tema bem mais pesado e adulto.

Alguns anos atrás, cogitou-se também que seria lançada uma versão americana do filme, protagonizada por Will Smith, mas o projeto não foi pra frente a acabou, eventualmente, cancelado.

Considerações finais

Bom, como sou um grande fã de séries que possuem esse clima dramático, sou meio suspeito para falar dessa obra, mas posso dizer que lendo esse mangá eu me senti descobrindo um tesouro escondido, uma série meio “underground” mas que é muito boa.

Como o objetivo dessa coluna é lhe apresentar obras que valem mesmo a pena, preciso lhe dizer que CORRA PRA LER essa série de excelente qualidade.

Inté!

Cadmus-Senpai.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em CORRA PRA LER

Uma resposta para “CORRA PRA LER #04: Old Boy

  1. arlen

    cara que final tocante, muito profundo, mas quase que passa despercebido, tem que voltar e reler o ultimo capitulo pra entender a profundidade dos acontecimentos, final muito forte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s